+351 262 841 392
 [email protected]

Blog Post

Quinze ex-combatentes no Ultramar receberam medalhas

Quinze ex-militares que estiveram na guerra no Ultramar receberam condecorações no passado dia 5, numa cerimónia realizada na Escola de Sargentos do Exército (ESE), nas Caldas da Rainha, onde esteve o presidente da Direção Central da Liga dos Combatentes, tenente-general Chito Rodrigues.

A sessão incluiu uma cerimónia de boas-vindas pelo comandante da ESE, coronel Monteiro Sardinha, visita às instalações, missa na capela da ESE e formatura geral na parada, onde foram entregues as condecorações.
No seu discurso, o comandante da ESE salientou “o justo reconhecimento àqueles que, de uma forma exemplar, cumpriram a missão que lhes foi atribuída”, referindo ainda o “exemplo que constitui para as gerações mais novas, para quem é importante transmitir o testemunho de quem enfrentou a adversidade ombro a ombro”.
“Fazemos um reconhecimento de todos os que, pela sua ação na defesa de Portugal, sofreram no corpo e na alma o preço do dever cumprido. Estes combatentes são merecedores de todo o nosso respeito. Foi um esforço tamanho da nação. Foram anos de incorporações sucessivas envolvendo cerca de um milhão de jovens de todas as regiões do país e que de forma exemplar cumpriram a sua missão por terras além-mar”, afirmou.
Manifestou ainda apreço por “todos os ex-combatentes deste país, e em particular aos que nasceram e vivem na região Oeste”. “A vossa geração criou também as condições para que Portugal seja um país democrático, mais livre, mais solidário e mais aberto ao mundo”, acrescentou o coronel Monteiro Sardinha.
E concluiu dizendo que os ex-combatentes “são fonte de motivação para os mais jovens, que tendo crescido num ambiente de maior conforto e de paz, enfrentam o futuro num mundo incerto onde as crises e os conflitos não deixam de ser constantes. Importa que os jovens deste tempo se empenhem em missões e causas essenciais para o futuro do país como a mesma coragem, desprendimento e determinação que os jovens de há 50 anos assumiram a sua participação na guerra do Ultramar”.
Após a entrega das medalhas houve um desfile dos militares da ESE e um almoço convívio, onde participaram os galardoados e suas famílias, e oficiais e alunos da escola.

Testemunhos

Henrique Silva, 72 anos – Angola 1965-1968
“É um reconhecimento ter recebido a medalha. Já há muito tempo que não assistia a cerimónias militares e gostei. Tenho bons, maus e péssimos momentos para recordar. Ainda tivemos um morto na minha companhia – a 1476. Estive em várias zonas, como Santo António do Zaire, Ambriz, Ambrizete e Bessa Monteiro. Era 1º cabo mecânico de armamento. Não sofri ferimentos, apesar de ter estado dezenas de vezes debaixo de fogo. Era o prato do dia. Não segui a carreira militar. Regressei a Alcobaça e fui empregado fabril na SPAL”.

Joaquim Santos, 73 anos – Angola 1965-1967
“Sinto uma grande honra e orgulho com esta medalha. Estou muito contente e é uma vitória interior. Estive no norte de Angola, a cem quilómetros de São Salvador do Congo. Era 1º cabo atirador. Estávamos isolados e tudo que aparecia do arame farpado para fora era para matar. Estivemos sob fogo e não sei se matei alguém, mas rastos de sangue apareceram bastantes. Vi alguns colegas feridos, mortos não. Quando regressei a Portugal voltei para o trabalho que tinha, que era pintor da construção civil em Alcobaça”.

Raúl Escolástico, 68 anos – Angola 1970-1972
“Gostei de receber a medalha. Foi bom. Estive no Batalhão de Caçadores 2910 como 1º cabo enfermeiro. Em Vale do Loge, quando saíamos para a picada fomos bastantes vezes atacados. Não vi mortos, mas feridos vi muitos. Aleijaram-se uns quantos colegas. Eu nem ferido nem nunca tive uma doença lá, o que é fantástico, mas curei muitos. Gostava de voltar à zona onde estive. Se o Estado fizesse uma excursão eu ia. Tenho pena de não ter seguido a carreira militar. Tenho um restaurante na Nazaré, junto ao mercado”

Condecorados

Foram condecorados com a “Medalha Comemorativa das Campanhas” os seguintes ex-militares:
Furriel Miliciano Carlos Manuel Viola Gonçalves – Guiné 1967-1969
Furriel Miliciano António Joaquim Carinhas Marques – Moçambique 1970-1973
1º Cabo Manuel António Sampaio – Angola 1963-1967
1º Cabo Henrique Pereira da Silva – Angola 1965-1968
1º Cabo Joaquim Francisco Vicente dos Santos – Angola 1965-1967
1º Cabo José Bruno Gaspar Vidal – Moçambique 1966-1968
1º Cabo Raúl Sousinha Escolástico – Angola 1970-1972
1º Cabo António Martins Delgado – Guiné 1971-1973
Soldado Fernando da Conceição Maria – Guiné 1961-1963
Soldado António Inácio de Sousa – Guiné 1967-1969
Soldado António Fernandes Machado – Guiné 1968-1970
Soldado João de Matos Antunes – Angola 1968-1970
Soldado Joaquim José Piseiro Garcia – Guiné 1969-1971
Soldado Edmundo Joaquim Honório de Sousa – Moçambique 1972-1974
Soldado Francisco Vendeiro Machado – Moçambique 1973-1975

12-04-2016 | Francisco Gomes

Fonte: http://jornaldascaldas.com/Quinze_excombatentes_no_Ultramar_receberam_medalhas

Related Posts

Caldas anima com diversos eventos para cativar o público

No âmbito da animação de verão promovida pela Câmara Municipal das Caldas da Rainha

Alcobaça e Caldas da Rainha promovem “Bom dia Cerâmica!”

Com oficinas, palestras e exposições, entre iniciativas presenciais e online A iniciativa europeia Bom dia Cerâmica! vai

Eunice Muñoz nas Caldas para última peça em junho

Atriz que representou nas Caldas nos anos 1960 está a despedir-se dos palcos. Representará

Doze exposições abordaram o tema “O Tempo e o Medo”

O tema deste ano do FOLIO – Festival Literário de Óbidos, “O Tempo e

Ministro do ambiente lança concurso para a segunda fase das dragagens

O lançamento do concurso para a dragagem da zona superior da Lagoa de Óbidos

Ricardo Roque mostra presépio animado nas Gaeiras

É já a nona vez que Ricardo Roque dá a conhecer um presépio animado

Cátedra Unesco contribuirá para “uma maior centralidade” na ESAD.CR e na região

A Escola Superior de Artes e Design (ESAD.CR), que obteve a sua primeira Cátedra

O álcool não aquece, o chocolate não faz borbulhas e pode acordar um sonâmbulo. Cem mitos desmontados num livro

Acorde o sonâmbulo ou rape os pelos sem problema. Estas e outras ideias explicadas

Centro de Interpretação para a Lagoa de Óbidos vence Orçamento Participativo

A proposta de criação de um Centro de Interpretação para a Lagoa de Óbidos

Praça Pública – Por que vai tão pouca gente ao Mercado do Peixe das Caldas da Rainha?

Dantes abastecia-me no Mercado de Peixe para a minha casa – para mim e

Campanha ajuda a vestir crianças africanas

O Centro da Juventude das Caldas da Rainha juntou-se à Pontos e Nós e

Edite Norte organizou sessão fotográfica na árvore de Natal…

A árvore de Natal gigante com 41 metros foi o cenário escolhido pela estilista

Propostas do Orçamento Participativo nas Caldas da Rainha em votação

Dezasseis propostas ao Orçamento Participativo (OP) 2017 nas Caldas da Rainha vão a votos

Desfile de pasteleiras pela cidade

Cerca de 150 pasteleiras (bicicletas antigas) realizaram um passeio entre o Campo e as

Amêijoa da Lagoa, cebola do Sobral e ginja de Óbidos nos “Sabores do Oeste”

Os produtos endógenos de Óbidos originaram o menu da sétima sessão do projeto “Sabores

Dez obras de arte pública formam a rota Ferreira da Silva

Foi inaugurada na terça-feira, 5 de Abril, a Rota Ferreira da Silva no novo

Festival Ofélia traz teatro e conversas de bastidores às Caldas

  Fonte: http://www.gazetacaldas.com/57618/festival-ofelia-traz-teatro-e-conversas-de-bastidores-as-caldas/

Mau Tempo: 15 distritos sob aviso amarelo

Tem planos para o fim de semana? Então talvez seja melhor reagendá-los para outro

Desenho de falo das Caldas motiva queixa à PSP

Quando se fala sobre a cidade de Caldas da Rainha, é comum lembrar os

Câmara vai colocar parquímetros na cidade

A Câmara das Caldas está a ultimar os pormenores para lançar o concurso para